sábado, 28 de julho de 2007

Os DESESpeciaLIStas

Fiquei algum tempo sem escrever aqui no blog devido a minha viagem a Ouro Preto para o Festival de Inverno. Lá participei duma oficina da qual já falei aqui que foi o Workshop de Desespecialização Artística ministrada por Chico de Paula, Renato Negrão e Makely Ka que me trouxe a possibilidade de experimentar sensações absolutamente novas e reveladoras.

Conheci pessoas incríveis, talentosas, sensíveis e bacanas como Bruno, Lili, Ana, Lucão, Jéferson, Natália, o casal Nara (Japinha) e Thiago (Frango). Gente muito boa. A oficina tinha caráter essencialmente experimental e foi assim o tempo todo. Experimentamos-nos, nos ouvimos, nos provamos, nos mordemos, nos cheiramos, nos lambemos, nos olhamos, nos tocamos profundamente em cinco dias seguidos e intensos.

A oficina teve um caráter multifacetado. Apartir do tema ESGOTO sugerido, manipulamos imagens, textos, áudios, vídeos e desenvolvemos performances e instalações. Tudo isso resultou, ao final da oficina, numa mostra conjunta onde tudo se apresentou de forma simultânea e sucessiva, um experimento multimidiático que não tinha a pretensão de trazer a novidade ou o inusitado.

O principal objetivo era o conceito da desespecialização, ou seja, procurar uma visão global das especialidades, juntá-las, misturá-las, corrompê-las, desconstruí-las. Assim como já fizeram Man Ray, Marcel Duchamp e seus seguidores entre os anos de 1915 e 20 com o Dadaísmo.

No pós-guerra da década de 1950 o termo desespecilazação era introduzido na produção industrial por Taiichi Ohno, engenheiro da divisão têxtil da Toyota com o nome de toyotismo, ou como prefere Benjamin Coriat, ohnismo em referência a Taiichi. Os princípios do método japonês baseiam-se na horizontalização da produção, na desespecialização e na polivalência da mão-de-obra operária. Um dos elementos seriam as células de produção visando a multifuncionalidade pela troca de experiências na execução do trabalho. Na década de 1980 esse método se populariza no mundo devido ao grande sucesso da indústria japonesa.

Na arte o conceito da desespecilização é amplamente exercitado hoje em dia com a criação dos coletivos de produção artística. Onde artistas plásticos, atores, músicos, designers, engenheiros, escritores, publicitários, filósofos, historiadores, antropólogos, psicólogos e tantos outros ólogos, eiros, ers, icos se juntam pra produzir trabalhos significantes em parceria.

Nesta oficina exercitamos isso e foi instigante, intrigante, alentador, prazeroso, ensurdecedor, apavorante, maluco, estimulante, reflexivo, compulsivo, eletrizante, complexo, conexo, místico, devorador, indisciplinado, corrosivo, esgotante, passional, feliz, verdadeiro, ilusório, transformador, convulsivo, inesperado, pontual, desigual, infantil, sujo, escrito, móvel, perdido, discutível, quente, frio, fedorento, assombrado, destrutivo, exclusivo, construtivo, oscuro, iluminado, emocionante.


Duas frases:

“Todas as idéias estão sujeitas ao envelhecimento. Esta é a lei do progresso.”

Domenico De Mais (Propõe a teoria do ócio criativo)

"O que conta não é a arquitetura, mas os amigos, a vida e este mundo injusto que devemos modificar".

Oscar Niemeyer


Referências:

INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
XXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Campo Grande – MS
COMUNICAÇÃO E O MUNDO DO TRABALHO E SUBJETIVIDADE
Profa. Dra. Roseli Aparecida Fígaro Paulino.
Professora da Escola de Comunicações e Artes da USP. Editora da Revista Comunicação &
Educação (ECA-USP).

Trecho de entrevista colhida no site de Mário Persona dada a Luiz Carlos Pires, jornalista e antropólogo, que coordenou a equipe formada por Sonia Grisolia, Manoel Fernandes Neto e Mario Persona. A tradução é de Cristina Fioretti.
http://www.mariopersona.com.br/domenico.html

10 comentários:

david santos disse...

POR MUITO QUE CUSTE A MUITA “BOA” GENTE, NÃO VAMOS DEIXÁ-LO ESQUECER.

Esta semana venho incomodar todos os blogues brasileiros. E por quê? Porque não quero que esta data fique esquecida. Mas que data? Pois é, é mesmo isso! Este ano, de 2007 faz 160 “cento e sessenta anos”, que nasceu um grande vulto da poesia brasileira. Quem foi?
Faz também este ano, 2007, 136 “cento e trinta e seis anos” a data do seu falecimento.
Quem foi? As respostas só se aceitam em iniciais. Nada de nome completo.

Eu não devia ajudar nada, mas vou-vos dar um cheirinho: “Espumas Flutuantes”, Salvador da Bahia, 1870.

Quem souber, pode deixar a resposta no meu último poste.
Quem não souber, tenha a dignidade de perguntar no mesmo local. Pois aprender não enche barriga nem mata miolo.

Tatiana disse...

que essa nova experiência seja um grande impulso. bjs!

chico de paula disse...

Kennedy, passei no blog - o outro - pra dar uma olhada, se alguém tinha renovado, atualizado e vi seu linke...

aproveito pra deixar um abraço.

valeu pela companhia e colaboração no workshop!!!

renato negrão disse...

ei kennedy, legal o texto o tom emocional, de entusiasmo, confirma nossa sensação positiva do processo. abração!

Pola disse...

mucho exito para ti!

Tatiana disse...

cd vc???? volta por seu blog!!!

Anônimo disse...

kaufen cialis cialis
cialis acquisto dove acquistare cialis
precio cialis comprar cialis generico
cialis prix cialis 20 mg

Anônimo disse...

[url=http://kaufencialisgenerikade.com/]cialis bestellen[/url] cialis 20mg
[url=http://acquistocialisgenericoit.com/]cialis[/url] tadalafil comprare
[url=http://comprarcialisgenericoes.com/]cialis[/url] cialis generico andorra
[url=http://achatcialisgeneriquefr.com/]cialis generique[/url] cialis sans ordonnance

Anônimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ viagra
http://commanderviagragenerique.net/ viagra achat
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra precio
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ acquistare viagra

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis commander
http://commandercialisfer.lo.gs/ prix cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis roma
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis